Rick and Morty e a síndrome de hipster

Segunda, 26 de março de 2018


"Os hipsters estão chegando!"

Estamos aqui, terminando essa Trilogia de Desenhos (juro que o blog é mais variado) quero falar sobre Rick and Morty, porque aqui no blog temos um spin off!

De acordo com Maurílio dos Anjos, lá do Choque de Cultura, spin off é "uma palavra estrangeira, de origem inglesa, que significa o que, quando uma parada já apareceu num filme e depois aparece em outro filme, você fala pô, essa porra aí é spin off".

Assim, aproveitei a ideia que coloquei lá no outro texto, não só para reciclar ou pensar em outro exemplo, como também para fazer você ler aquele lá para entender o contexto.

Gênio da indústria do blog? Talvez.

E por falar em Choque de Cultura e Rick and Morty, a ideia aqui é tentar entender essa síndrome de hipster que anda acontecendo com a gente.

Essa síndrome de hipster funciona assim: conheço algo que quase ninguém conhece e isso me faz sentir parte de um grupo seleto, exclusivo, com todas as piadinhas internas que só eu e esse pequeno grupo conhece.

Mas quando esse produto vai para o “grande público”, eles se “entregam ao sistema” e acabam “vendidos”, deixando de ser como eram antes.

"Abertura de "não é porque você começou a assistir agora que deve me explicar tudo o que já sei", foi o que disse o hipster".

Cara, tudo isso não passa de egoísmo. E sei disso porque também já fui vítima dessa síndrome. Pensa só, se o "seu" produto vai para o “grande público”, é sinal de que ele é bom, vale a pena e que grandes empresas toparam em investir neles. Com investimentos altos, mais chances desse produto melhorar sua qualidade.

Mas daí, meu caro amigo de coque samurai, você me diz “ahhh mas perde a qualidade”, “são moldados para atender um público geral”, “vai virar mais comercial”.

No fundo você sabe que não é bem assim, ainda mais nos dias de hoje, que temos em mãos uma gama de plataformas de reprodução de conteúdo. Netflix e Youtube que o digam.

O lance tá mais para a sensação de perder algo que é seu. De ter que conviver com esses novos fãs que acham que sabem de tudo, como a galerinha especializada em física quântica graças a Rick and Morty.

E poxa, não te entendo. Porque, cara, olha só. Curto muito Scrubs, que é uma série médica de comédia. E não conheço NINGUÉM QUE TENHA ASSISTIDO TODAS AS NOVE TEMPORADAS! Sério, sonho de criança Scrubs virar modinha para ter com quem debater, assim como fazemos com Friends e How i met your mother.

"Se você souber o nome de três personagens, já pode me chamar pra trocarmos uma ideia"

Já fui um desses hipsters aí de filmes e séries que chamavam elas de minha. E sabe a melhor coisa que aprendi? Que elas não estão nem aí para todo esse lance de “afff antes que era bom”. Rick and Morty continua sendo um daqueles desenhos com mensagens fodas e sim, recomendo a todos que assistam, é muito bom mesmo.

Assim como o Choque de Cultura e os melhores pilotos do transporte alternativo. Não é porque eles foram para a Comic Con e cobriram o Oscar numa live que deixaram de ser como eram antigamente. Cacete, tu não quer que os caras tenham o trampo deles reconhecido? Tipo, não quer que façam sucesso só pra continuar atingindo a mesma parcela de público, sendo que eles tem potencial para mais?

Sacou como não faz sentido?

Agora é o seguinte, deixa de ser hipster. Ninguém, além de você, liga pra isso.

E me faz um favor. Assista Scrubs, pelo amor de Deus, que quero trocar ideia com alguém sobre essa série.

Abraços,

Rafael Moreno


voltar